Procon de Londrina começa estudo de irregularidades na compra pela internet






A compra através da internet tem ganhado espaço no dia a dia de consumidores de Londrina. O problema é que com o aumento dos pedidos, muitas empresas não têm dado conta de atender corretamente seus clientes. O Procon chegou a interditar uma clínica de estética na zona norte e notificar um site de compras coletivas na última semana. Atualmente, o ógrão realiza um estudo das principais reclamações dos usuários.

O coordenador do Procon em Londrina, Carlos Neves Júnior, explicou nesta sexta-feira (25) que o órgão está realizando um levantamento com as principais informações sobre irregularidades na compra pela internet.

"Há muitos consumidores questionando serviços em que não foram atendidos. Nós estamos até procurando destacar os principais erros para ver como vamos orientar a população", comentou.

De acordo com ele, as irregularidades são muitas e vão desde a demora no agendamento de horário a até casos em que o produto não corresponde àquele que foi anunciado pelo site de compras.

"Muitas vezes a pessoa busca o site de compras coletivas justamente pelo fornecimento de preço vil, compra pela vantagem que terá. Mas quando vão buscar a mercadoria, em sua maioria do campo comestível, percecebem que não era aquilo que estava esperando, que não era o que foi oferecido", disse.

O número de ocorrências vem crescendo e segundo ele, é necessário verificar quais os problemas identificados. "É uma situação que está começando, mas vem registrando maior procura no Procon. As pessoas estão começando a procurar mais, pedir informações e denunciar. Como é algo novo e as pessoas estão começando a fazer usufruto dessa situação, estamos analisando com mais calma", contou.

A compra feita fora do estabelecimento físico deve ser analisada com cautela pelo consumidor. É preciso verificar a procedência do site que disponibiliza o serviço, assim como as condições contratuais que estão previstas nessa venda, segundo Carlos Neves.

Na última quinta-feira (17), a empresa CD Depila foi interditada pelo Procon. Vários consumidores reclamaram em não conseguir marcar horário para serem atendidos. Após vistoria de fiscais do órgão, foi constatado que o local não possuia alvará de funcionamento e a pessoa responsável pela depilação pulsada não tinha capacidade técnica. O site Groupon, que ofertava o serviço, também foi notificado.

Fonte: http://londrina.odiario.com