Sites de compra coletiva miram o Complexo do Alemão






 

Os sites de compra coletiva descobriram o Complexo do Alemão. O passeio pelas seis estações do teleférico é vendido como uma visita "à mais fantástica comunidade do Rio de Janeiro". O roteiro inclui passeio a pé pela favela, pacificada desde novembro, em um trecho que é percorrido em cerca de 30 minutos. Moradores de Manaus, São Paulo e Brasília estão entre os compradores do pacote, que sai por R$ 15.
 
O visitante faz um tour acompanhado por guia turístico credenciado. No trajeto, o profissional aponta as curiosidades - Igreja da Penha, Ponte Rio-Niterói, Engenhão, as obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a movimentação das tropas do Exército, que continua ocupando as favelas.
 
"No Pão de Açúcar, no Cristo, a visão é linda, mas é quase uma paisagem moldada. Aqui é uma vista urbana, a gente vê a casa das pessoas, o movimento sobre as lajes, crianças soltando pipas, cães andando por ali", afirmou o capixaba Felipe Pereira Garcia, de 27 anos, que fez o passeio."Acho que o Complexo do Alemão será o terceiro ponto turístico do Rio, atrás do Pão de Açúcar e do Corcovado", diz Ronald Teixeira, coordenador do projeto Rio Turismo Legal.
 
Teixeira diz que quer ainda criar mais dois roteiros - a "Trilha do Bope", uma caminhada pelo local que foi usado como rota de fuga dos traficantes, em novembro; e o passeio à "lagoa azul" do Alemão, piscinão formado durante a escavação de uma pedreira, na Serra da Misericórdia. "O turismo vai resgatar essa comunidade". Inaugurado há um mês, o teleférico do Alemão já recebeu 218 mil pessoas. A média é de seis mil pessoas por dia.