Comitê de Compras Coletivas aprova Código de Ética e Autorregulamentação






 

Com pouco mais de um mês de existência, o Comitê de Compras Coletivas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) oficializou nesta quinta-feira (18.08) o Código de Ética e Autorregulamentação do setor, durante reunião mensal do grupo.

Apesar do pouco tempo de existência no mercado brasileiro – o primeiro site de compras coletivas chegou ao Brasil em março de 2010 –, o segmento é um dos que mais crescem no comércio eletrônico brasileiro. Sentindo a necessidade de unir forças para defender as boas práticas nas compras realizadas em sites do gênero, o Comitê de Compras Coletivas é o mais novo comitê da camara-e.net e o mais representativo do setor de compras coletivas.

“O Código de Ética e Autorregulamentação do setor de compras coletivas tem como objetivo criar um ambiente de respeito mútuo e de observação de regras sociais, com foco no respeito aos usuários e consumidores”, explicou Tiago Camargo, assessor jurídico do ClickOn, durante a reunião.

Com o Código de Ética e Autorregulamentação, as seis empresas que integram o Comitê – ClickOn, Clube do Desconto, Imperdível, Oferta Única, Peixe Urbano e Viajar Barato – assumem o compromisso de se conduzirem de acordo com os preceitos de moral, conduta e responsabilidade, não realizando, por exemplo, ofertas falsas ou conteúdo enganosos, alteração no contador de vendas, e envio de spams.

 

Qualidade e compromisso

Embora o segmento de compras coletivas no Brasil seja recente, a categoria já deu provas de que veio para ficar, deixando ultrapassadas as ideias de “bolha” ou “febre”. A preocupação, agora, é garantir a qualidade dos serviços e fidelizar os e-consumidores, que tem a oportunidade de utilizar os sites de compras coletivas para ter novas experiências.

“É positivo para o consumidor, que pode aproveitar e experimentar novos produtos ou serviços a um preço diferenciado, e ajudam as pequenas e médias empresas que conseguem, através deste segmento, um canal de publicidade, e podem chegar ao consumidor final de forma mais barata”, salientou Ludovino Lopes, presidente da camara-e.net.

“Queremos que cada vez mais as pessoas conheçam o modelo de compras coletivas. O segundo desafio é que todos aproveitem e tenham boas experiências com as compras coletivas”, disse Marcelo Macedo, coordenador do Comitê de Compras Coletivas.

A camara-e.net, ao lado do Comitê de Compras Coletivas, vai participar das discussões em torno da criação de leis que visam regular o mercado, como o Projeto de Lei 1232/2011, do deputado federal João Arruda (PMDB/RJ).

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da camara-e.net