Comparadores e agregadores já são utilizados por quase todos os compradores online






O marketing digital oferece inúmeras possibilidades para uma empresa de e-commerce se destacar, em um setor onde é extremamente importante ter um diferencial, seja ele em produtos, preços ou outras vantagens. Estar entre os resultados de buscas dos sites comparadores de preços já é uma forma inteligente e muito disseminada de abrir fogo contra a concorrência, mas nesse caso, o que vale mesmo é ter o menor valor, atributo muito valorizado pelos internautas.

Ficou constatado no 2º Estudo Global Neoconsumidor, conduzido neste ano pela GS&MD – Gouvêa de Souza, em parceria com o Ebeltoft Group, que 81% dos e-consumidores de lojas virtuais buscam os melhores preços e informações pelos comparadores. Até mesmo os consumidores do varejo tradicional adotaram a internet para pesquisar sobre um produto. Hoje, 84% deles utilizam a técnica, enquanto em 2009, primeiro ano da pesquisa, apenas 49% tinham esse comportamento.

O que se nota a partir dessas informações é uma maior popularização das vendas pela internet, o que a pesquisa também afirma, ao constatar que 96% dos brasileiros já fizeram alguma compra on-line – número acima dos 90% verificados entre os 10.500 participantes da pesquisa em outros 14 países, como México, Espanha, Turquia, Austrália e Reino Unido.

Ainda de acordo com as estatísticas levantadas pela consultoria em varejo GS&MD, a internet é um ótimo ambiente para realizações de compras para 71% dos entrevistados, contra os 64% apurado há dois anos e 57% acreditam que é também um meio seguro de se obter produtos.
Consequências

Com todos os indicadores do estudo, fica mais claro o papel do e-commerce entre os internautas e consumidores em geral. Como consequência, mais empreendedores deve enxergar na modalidade de negócios a oportunidade para a maior lucratividade da sua empresa.

A partir daí, o quadro competitivo provavelmente vai elevar o valor das ferramentas desenvolvidas para destacar os diferenciais das empresas. Investir em algum dos vários comparadores de preço, com peso no mercado nacional, deve contribuir para o aumento das vendas.

É importante lembrar que na internet, cada passo deve ser amplamente analisado. “A estratégia precisa fazer parte do planejamento do comércio eletrônico, e o Retorno sobre Investimento (ROI) pode trazer uma visão mais clara do impacto do marketing digital para os negócios também digital – o que já mostra o quanto um é complementar ao sucesso do outro”, orienta Marcelo F. Silva, gerente de marketing da JET Tecnologia em Comércio Eletrônico.

Fonte: blogdoecommerce.com.br